FANDOM


Capítulo 9 - Vladimir


Rose


Vladimir
Capítulo 10







Avatar-vladimir-profil


Separateur

Lançamento do capítulo: 20/05/2020

Valor de PA gasto (média): --  Coin Vladimir

Personagens que aparecem no capítulo: Vladimir.


Separateur

SinopseEditar

O seu destino está agora decidido: as suas escolhas a conduziram na direção da esperança ou das trevas?

OBSERVAÇÃO: Por favor, pedimos que não marquem uma opção como correta sem que ela seja confirmada. Obrigado!Editar

Guia de respostas Editar


Aaron Editar

A. Aaron, se você impedir o Vladimir de falar, não avançaremos muito...

B. Vladimir, tudo o que ouvimos... É verdade?

--

A constatação do Aaron me deixou perplexa. Apesar dos meus sentimentos violentos e contraditórios, a injustiça do seu resumo fez com que eu levantasse a cabeça.

A. Aaron, não conclua as coisas dessa maneira.

B. Aaron, eu também estou furiosa e perdida, mas essa maneira de resumir a situação é muito simplista.

--

Você vai ter que acordar antes do pôr do sol e nos acordar assim que sentir sua presença.

A. E não antes? Normalmente, vocês só acordam uma hora após o pôr do sol. Se vocês acordarem antes, seria uma vantagem, não?

B. E se o Neil vier quando vocês já estiverem acordados, me junto a vocês?

--

É verdade! Eloise, vamos mudar de plano: a minha intervenção não adianta se o Beliath e o Vladimir não conseguiram ferir o Neil o suficiente.

A. E eu não posso fazer nada para enfraquecê-lo?! Eu não tenho armas mas talvez eu possa fazer algo com meus poderes... Qualquer coisa, digam-me!

B. O que isso quer dizer?! Não podemos vencê-lo? Ou temos que atacá-los juntos? Os meus poderes podem servir para algo?

--

O quê?!

A. Você viu o tamanho da sua espada? Como eu posso usá-la?! Corro o risco de acabar com todas as suas chances!

B. Você quer que eu dê o golpe fatal?! Mas o que eu devo visar? Eu não terei forças para dar o golpe com força!

--

Seus olhos estavam iluminados por um brilho bestial.

A. Aaron, nós dois não podemos fazer nada! Precisamos esperar, o Vladimir poderá ajudá-lo, ele está quase livre! Juntos, vocês conseguirão, você poderá matá-lo!

B. Aaron, me dê a espada, precisamos ganhar tempo! O Vladimir poderá ajudá-lo. Juntos, vocês podem matá-lo!


BeliathEditar

Mas... E os seus pais?!

A. O que tem os meus pais? Você acha que eu posso esquecê-los, Beliath? É claro que eu penso neles!

B. Não sei, está bem? Eu... Eu não consigo parar de pensar que o Vladimir os matou, mas...


EloiseEditar

(Eles parecem em má situação! O que eu devo fazer?)

A. (De qualquer forma, não tenho forças para ajudar, é melhor eu me concentrar no Ethan, ele está muito mal!)

B. (Talvez eu possa tentar chamar o Vladimir, ou intervir, deve ter algo que eu possa fazer!)

C. (O Beliath e o Aaron estão sendo jogados alternadamente, talvez com uma terceira pessoa atacando, eles consigam dominá-lo!)

--

(Ele precisa voltar a si antes que alguém seja ferido! O que eu posso fazer?)

A. (Se jogar sobre o Vladimir.)

B. (Utilizar meu poder de cálice.)

C. (Falar com o Vladimir.)

--

(Eu acho que o mais sensato seria eu ficar com alguém que também me conhece bem...)

A. (Depois de todo esse tempo na mansão, eu conversei mais com o Beliath e gosto mais dele. Se eu estiver com ele, eu acho que nos daremos bem.)

B. (Finalmente, compartilhei mais coisas com o Aaron... Se eu lutar com ele, acho que nos daremos bem. Eu confio em suas habilidades e na nossa amizade.)

--

(Será que eu fiz bem em procurar reconforto dessa maneira, depois de tudo que eu fiquei sabendo sobre ele...?)

A. (Tenho minhas dúvidas... Busquei reconforto onde sabia que conseguiria, sem pensar duas vezes. Agora que os efeitos das mordidas e da noite passaram... Eu me arrependo acima de tudo.)

B. (Não tem como negar. Apesar de estar perdida, isso me fez tão bem... Porque era ele. Porque eu precisava dele.)


NeilEditar

O quê... Como?

A. Como você pode saber o meu nome? Quem...

B. Quem é você? O que você veio...

--

Então, você compreenderá o que eu vou responder: não ouse me ameaçar, isso pode ter consequências das quais você se arrependerá.

A. Correndo o risco de dizer uma cruel evidência: o senhor está sozinho e nós somos três.

B. Você chama todos nós pelo nome, e nós não sabemos quem você é.

--

Não me faça rir, meu jovem, eu sei do que você realmente é capaz. E das consequências que os seus atos tiveram na vida dessa jovem.

A. Como você se permite falar sobre o Vladimir e eu? Você não sabe nada.

B. Você é patético ao se expressar como se a situação atual fosse apenas uma grande piada que só você entende.

--

E eu, o que eu estou pensando?

A. Você está perdendo o seu tempo se acha que vai me colocar contra o Vladimir.

B. (Vladimir...)

--

Por culpa dos seus pais.

A. Solte-me, você está louco! Você só está sedento de sangue! Vladimir!

B. Eu... Eu não entendo o que você está dizendo... Solte-me! Solte o Vladimir!

--

(Oh. Oh.)

A. É isso, não é? É por isso que o Vladimir sempre ia até a cozinha? Há algo lá, atrás daquela porta?

B. Eu conheço essa mansão de cabo a rabo, você está mentindo, você não pode ter ficado aqui por todo esse tempo! Como nós não teríamos visto?

--

Então, você chegou.

A. E daí? Você está dizendo que é culpa minha se você se comporta como um monstro? Mas você não tinha nada a temer!

B. E daí? Eu nem sabia que você estava aqui, nem o que os meus pais faziam. Você não tinha nenhum motivo para ter medo de mim.


RaphaelEditar

Eu vou fazer o que puder para detê-lo, apresse-se!

A. O quê?! Raphael, pelo menos espere que o Vladimir vá com você, ele já está chegando!

B. Sozinho?! Raphael, é loucura! Tenho que ir com você!


VladimirEditar

(Não, isso não pode ser verdade! Por favor, não!)

A. Vladimir, você tem algo a ver com a morte dos meus pais?! O que aconteceu? O que você fez?

B. O que você está dizendo, meu Deus?! O que você fez aos meus pais? O que aconteceu entre vocês?!

--

(...) eu descobri um vampiro. Um vampiro prisioneiro.

A. O vampiro era aquele homem? Ele me disse que ele se chamava Neil. E que ele... Vivia aqui.

B. Como assim, "prisioneiro"? Os meus pais eram pesquisadores em medicina, como eles poderiam controlar um vampiro? O Neil disse que ele vivia aqui, mas...

--

(...) o segredo da imortalidade.

A. Isso é impossível! Os meus pais não podiam... Que coisa horrível!

B. Mas que loucura! Um vampiro se torna imortal por causa da sua transformação.

--

Já chega, não quero saber dos detalhes!

A. É por isso que você quis matar os meus pais?! Para se vingar? Por eles... Por eles terem feito isso com um vampiro?

B. E o que aconteceu em seguida? O Neil disse... Que não foi ele quem matou os meus pais.

--

Disse que se eu o ajudasse... Ele poderia me curar.

A. Curar você? Mas como? Nada poderia te curar antes da sua transformação, como seria possível fazê-lo depois dela?

B. Sério? Você não pensou que poderia ser uma desculpa para fazer com que você o obedecesse, prometendo-lhe mundos e fundos?

--

Vladimir, posso fazer uma pergunta?

A. Para onde foram os pertences dos meus pais?

B. Por que o lugar está em um estado tão ruim?

C. Como o Neil vivia aqui?

--

Eloise, está tudo bem?

A. Estava pensando nos meus pais. No que eles fizeram, no que eu achava que sabia... Não sei mais se estou com raiva... Ou perdida.

B. Estava pensando no Neil. E na maneira como ele viveu aqui. O que o levou a cometer esses assassinato e a querer a nossa morte. Eu não entendo...

C. Na verdade, não, mas isso não deve surpreendê-lo. Eu estava pensando... Em muitas coisas...

--

(...) essa mistura de amor, ira e preocupação que me roía por dentro.

A. Eu não sei, Vladimir.

B. É mais complicado do que isso, Vladimir.

C. Vladimir, a verdade é que toda a confiança que eu tinha em você, no que havia entre nós, desapareceu.

--

(Vladimir...)

A. Conversaremos sobre isso.  Depois que essa situação com o Neil passar. Quando pudermos nos concentrar na situação... E seguir em frente.

B. Por ora, o que eu sei, é que esta talvez seja a última noite que compartilharemos e eu não quero estragá-la. 

C. Por ora, é de você que eu preciso. De você e não dos fantasmas do meu passado.

--

(...)não tente lutar, fuja!

A. Está fora de questão! Você viu o que ele fez com o Raphael? Vocês precisam de ajuda!

B. E te deixar a sós com com o Neil?! Eu já disse que está fora de questão que eu te abandone e não será agora, diante do perigo, que eu o farei! 

-- 

Ele se refugiou na biblioteca. Venha. Nós temos que terminar tudo isso. 

A. Pelo Aaron... Por todos nós. 

B. Sim. Para fazê-lo pagar. Por todo o resto. 

C. Para fazer justiça e libertar todas as suas vítimas.

--

Raiva? De quê?!

A. Agora eu sei que ele não era só um monstro com sede de sangue.

B. Dos meus pais. Por toda a minha vida, eu idealizei esses desconhecidos, achei que tinha encontrado a prova do amor deles através do testamento. 

C. Tenho a impressão de que tudo isso era inevitável.

--

(Hum...)

A. Sinceramente, eu não me sinto em condições de cuidar disso agora.

B. Eu acho... Que eu o farei. 

C. Eu não sei... Mesmo se ele não foi inteiramente responsável, foi ele quem decidiu que tudo acabaria em sangue.


IlustraçõesEditar

  • Final Bom
  • Final Neutro
  • Final Ruim

NavegaçãoEditar

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.