Wiki Moonlight Lovers
Advertisement


Capítulo 5 - NeilCapítulo 7 - Neil

Rose.gif


Neil
Capítulo 6


NeilAvatar.jpg


Separateur.png


Lançamento do capítulo: 02/11/2021

Valor de PA gasto (média): 3,720 Neil-PA.png

Personagens que aparecem no capítulo: Alessio, Beliath, Ethan, Ivan, Neil, Raphael, Vladimir.


Separateur.png


Sinopse[]

“Enquanto as notas ainda flutuavam no ar, nossos rostos se encontraram por acidente. Seus lábios tocaram os meus e nossas respirações se misturaram.”

No programa: um pouco de música e muita, muita intimidade!

Guia de Respostas[]

Alessio[]

Ééé... Sim. Boa noite. Você é a dona da casa?

A. Sim, e não me lembro de tê-lo convidado a entrar na minha prioridade.

B. Sim, eu moro aqui. Mas quem é você?

C. Não exatamente. Mas esta não é a questão. O que você está fazendo aqui?

--

Você poderia me mostrar o caminho, por favor?

A. (Posso mostrar o caminho certo.)

B. (E se eu desse o caminho errado...)

C. (Ele poderia ser o meu lanchinho...)


Beliath[]

(...)

A. Você acha que o Vladimir ficará bem?

B. O que você pensa sobre o comportamento do Neil?

C. Quanto você culpa o Neil?


Eloise[]

(Aff... Por quê? Eu não entendo muito bem o que aconteceu...)

A. (Francamente, eu preferia não estar apaixonada...)

B. (Eu me pergunto se ele também sente algo por mim.)

C. (Eu vou conseguir amansá-lo...)

--

O vento fresco me embalava suavemente e a luz da lua carinhosa me consolava.

A. (Droga, Eloise, recomponha-se...)

B. (Ninguém pode me ver... Preciso aproveitar para pôr tudo para fora.)

C. (Eu não devia ficar em um estado desses...)

--

(Preciso decidir o que fazer. E depois, ir até o fim. Assim eu terei mais clareza.)

A. (Não tem jeito. Precisamos conversar. Francamente.)

B. (Se ele não quiser conversar sobre o assunto, não vai adiantar nada forçar a situação.)

C. (Preciso encontrar a hora certa. Com as tensões na mansão, não é fácil.)

--

Rapidamente, eu tirei a minha atenção da cena agonizante e me dirigi à porta.

A. (Preciso ajudá-lo! Rápido! Pelas escadas!)

B. (Se eu soubesse voar, seria mais rápido...)

C. (O que deu nele?)

--

Quando eu cheguei no hall, o grito tinha cessado. O Ethan e o Beliath estavam debruçados sobre o Vladimir, por sua vez sentado no chão, em lágrimas. O Neil estava um pouco afastado, com uma expressão impassível.

A. O que está acontecendo?

B. Vladimir! Você está bem?

C. Onde estão os outros?

--

(Ele pareceu sincero sobre o Neil... Mas será que ele tem razão?

A. (Neil... Às vezes, eu não o entendo...)

B. (Neil... Ele fez o que precisava fazer por si mesmo.)

C. (Neil... Será que ele é insensível a este ponto?)


Ethan[]

Se você acha que as suas ameaças me assustam... Mas eu acho que a minha missão foi um sucesso. Afinal, vocês pararam de tocar, não é? Bom... Até!

A. Ele realmente sabe aborrecer as pessoas, isso é certeza...

B. Ele está exagerando...

C. Eu acho que entendo o que você dizia sobre os vampiros jovens...

--

Talvez você não seja um mentiroso, mas você é no mínimo um grandíssimo canalha.

A. Você não deveria ter mentido, Neil...

B. Ele fez o que qualquer outro teria feito no seu lugar.

C. Não é melhor viver com alguma esperança?

--

Bom, desembuche. Qual é a sua pergunta?

A. Você acha que o Vladimir ficará bem?

B. Quanto você culpa o Neil?

C. O que você acha que acontecerá, agora?


Neil[]

Boa noite...

A. Oi.

B. Obrigada pelo convite, Raphael.

C. Olhe, você notou a minha presença, Neil...

--

E eu não vejo como torná-lo mais simples.

A. Vocês caçam em grupo frequentemente, como ontem?

B. Os bailes são a sua fonte principal de alimentação?

C. Como vocês caçam? Não é muito complicado...

--

Você ainda não cansou de fazer estas observações fúteis, Raphael? Eu estou fazendo o meu dever de iomlán para salvar a situação, mas você não tem a decência de responder claramente às minhas perguntas.

A. É só um problema de comunicação.

B. O Neil tem razão. Você poderia ser menos enigmático, Raphael.

C. Não acho que o Raphael queira confundi-lo, Neil.

--

Hmm... Eu a ouvi tocar piano, outro dia. Faz muito tempo que não toco, mas houve um tempo em que a música me ajudava a me controlar.

A. Eu não sabia que você tocava piano!

B. Eu também!

C. Eu não sabia que você podia me ouvir!

--

Estou feliz em poder tocar com você, Eloise. Você tem muito talento, sabia?

A. Se você acha...

B. Deixe-me tocar antes. Talvez você mude de ideia.

C. Sempre quis dedicar mais tempo à música...

--

O que você quer tocar hoje? Algo parecido?

A. Eu conheço uma música intensa, animada. Podemos adaptá-la. O que você acha?

B. Uma balada romântica a quatro mãos?

C. Há uma melodia épica que não me sai da cabeça há alguns dias... Você quer tentar tocá-la?

--

Não, eu não sabia o que aconteceria. Havia uma chance do Vladimir estar protegido. Uma chance mínima, mas era uma chance.

A. Se tivesse funcionado, vocês ficariam felizes do Neil não desencorajá-lo.

B. Vocês não podem responsabilizar o Neil pelas decisões do Vladimir.

C. Vocês poderiam ter nos avisado.

--

Senão o quê?

A. Neil, você poderia responder.

B. Sim. Acalme-se, Ethan. Eu tenho certeza de que o Neil irá responder.

C. Neil, responda, droga!

--

Eloise... Você está à vontade?

A. Sinto muito... Não quis bisbilhotar.

B. Sim, na verdade, eu o esperava.

C. Eu não sabia que você gostava de teatro!

--

O que aconteceu com o Vladimir, há pouco...

A. É verdade que você sabia que não podia salvá-lo?

B. Você não pareceu se preocupar com o Vladimir. Por quê?

C. Você acabou confessando a verdade porque não tinha mais nada a ganhar. É isso?

--

Não. Ele era o meu servente. Ele não podia ser meu companheiro.

A. Ele o servia! É diferente!

B. Só podemos ser amigos dos nossos iguais.

C. Como você consegue ser tão indiferente?

--

Claro. É o que um verdadeiro iomlán faz. Ele controla, domina, reina. Ele não tem medo de pensar grande.

A. Que horrível!

B. Deve ser um caminho muito solitário...

C. É fascinante.

--

Você quer que eu lhe conte uma velha história ou uma anedota mais recente?

A. Uma velha história, eu prefiro descobrir uma época que não conheço.

B. Você escolhe!

C. Algo mais recente, para que eu entenda melhor o contexto.

--

O que eu poderia contar? Ah... A criação do Danelaw, talvez. Afinal, ela só aconteceu porque eu controlei o Alfredo.

A. Alfredo... Você quer dizer Alfredo, o Grande?

B. O Danelaw... Como a lei anglo-saxã?

C. Um controle mental... Como o que você fez com o Vladimir?

--

(Será que agora é a hora certa?)

A. Por falar em relações... Eu queria fazer uma pergunta.

B. Por falar em percepções... Precisamos conversar sobre um assunto.

C. Eu entendo melhor por que estou exausta!

--

(Mas... Não foi o que eu quis dizer! Ele está ficando tenso...)

A. Sabe, eu gosto quando estamos juntos.

B. Foram instantes muito agradáveis, antes de você sair.

C. Sabe, não faz mal deixar-se levar por certas fraquezas.

--

Pensei que se não estivesse sozinho...Talvez eu finalmente dormisse melhor.

A. (Coitado...)

B. (Não sei se eu conseguirei dormir... Mas tudo bem!)

C. (Qualquer motivo é válido para eu dormir ao seu lado...)

--

Fui entrando... Sinto muito. Não queria correr o risco de acordar ninguém.

A. Ou você não queria que ninguém o visse no meu quarto a essa hora?

B. Você fez bem! Venha, entre!

C. E se eu não estivesse pronta?

--

Não se preocupe comigo. Primeiro, gostaria de agradecê-la por me receber nos seus aposentos. Eu sei que a situação não é muito normal...

A. Desde que cheguei aqui, aprendi a esquecer a ideia de algo ser normal!

B. Depois de tudo o que você fez por mim, é mais do que normal, muito pelo contrário!

C. O prazer é meu!

--

Você é patético, Vladimir.

A. Por que você fez isso?!

B. Você realmente achou que conseguiria matá-lo?

C. O que aconteceu?


Raphael[]

O Neil estava preocupado com a segurança da mansão e eu estava tentando tranquilizá-lo.

A. A segurança? Como assim?

B. O Neil, estressado? Jura?

C. Que simpático.

--

Nós não somos loucos inconsistentes, Neil. Todos são hipnotizados, nós já o fizemos diversas vezes, sem problema nenhum.

A. E é o suficiente?

B. De qualquer jeito, os humanos não podem ser tão perigosos assim...

C. Vocês realmente convidam humanos frequentemente para vir para cá?

--

Cada um tem livre arbítrio.

A. Mesmo que elas coloquem os outros em risco?

B. Precisamos de alguém para controlar essa bagunça toda...

C. E é uma maneira excelente de se viver em comunidade.


Vladimir[]

(...)

A. Sinto muito pelo que você está passando.

B. Eu posso fazer algo por você?

C. Muito bem, nesse caso, vou embora.

Ilustração[]

Navegação[]

Advertisement