Capítulo 5 - Vladimir Capítulo 7 - Vladimir

Rose.gif


Vladimir
Capítulo 6






Avatar-vladimir-profil.jpg


Separateur.png

Lançamento do capítulo: 29/01/2020

Valor de PA gasto (média): 14,430 PA's Coin Vladimir.png

Personagens que aparecem no capítulo: Aaron, Beliath, Ethan, Raphael, Vladimir.

Separateur.png

Sinopse

“Após uma noite de paixão, a escuridão me invade sem que eu possa fazer algo a respeito.”

OBSERVAÇÃO: Por favor, pedimos que não marquem uma opção como correta sem que ela seja confirmada. Obrigado!

Guia de respostas

Aaron

"[...] Não tinha prestado atenção, mas nos tratarmos com formalidade é um pouco ridículo, não é?"

A. Pode não ser ridículo, mas é verdade que é um pouco estranho.

B. Por que isso te deixa preocupado? O Raphael e o Vladimir também me tratam assim, então isso não me espanta.

--

(Talvez, seja o momento para perguntar por que o Ethan me detesta tanto.)

A. Escuta, talvez eu esteja imaginando coisas, mas tenho a impressão que o Ethan tem algum problema comigo...

B. Aaron, posso fazer uma pergunta um pouco direta sobre o Ethan?


Beliath

(Urgh...)

A. Por que Beliath, está com ciúmes por não ter sido você? Com as suas roupas brancas, você já tem a metade do uniforme de enfermeira pronto.

B. (Se eu responder, vou ter que escutar horas e horas de brincadeiras e deboches sobre a ajuda que estou prestando ao Vladimir. E eles não precisam saber o que a gente tem.)

--

([...] Talvez, fosse melhor perguntar diretamente se isso deixa eles incomodados?)

A. Beliath, sinceramente, eu vou incomodar se ficar aqui?

B. (E depois, não quero fazer o papel de chorona e ficar perguntando ao Beliath se eles querem a minha presença na reunião. Tomei uma decisão e vou me manter firme.)

--

(Mesmo assim estou com vontade de perguntar...)

A. Beliath, é melhor que eu fique afastada da reunião de vocês, não é?

B. (E depois, não quero fazer o papel de chorona e ficar perguntando ao Beliath se devo insistir. Tomei uma decisão e vou me manter firme.)


Eloise

(O que eu faço? Eu começo? Ou deixo ele começar?)

A. (Ele fica totalmente perdido e na defensiva quando precisa se abrir e falar dos seus sentimentos. Acho que é melhor eu começar.)

B. (Tenho medo que ele ache que estou falando muito de mim ou então que se sinta rebaixado se eu der a direção da conversa. Eu devia deixar ele me dizer o que pensa.)

--

(Ele parou, como se quisesse acrescentar alguma coisa.)

A. (Eu não aguento ficar assim neste suspense.)

B. (Ele parece tão preocupado.)

C. (Esta revelação me deixa boquiaberta.)

--

(O que devo fazer?)

A. (Será que eu não estou interpretando tudo errado?)

B. (Não tenho bem a certeza, mas acho que é melhor não insistir. Posso ir vê-lo mais tarde para que ele me explique o que aconteceu.)

--

(Gostaria de estar ao lado do Vladimir, mas será que aí não vai ficar na cara de todo mundo?)

A.(Pelo menos se eu ficar perto dele, vou me afirmar para o grupo e não vou ser colocada de lado.)

B.(Posso sobretudo incomodá-lo ou deixar ele embarcado, posso muito bem sobreviver sem estar colada nele.)


Ethan

(O quê?)

A. O que você está achando que eu sou Ethan? Um fast-food? Um restaurante de comida a quilo? Eu não sou uma despensa de comida!

B. (Qual é o problema dele? Por que ele me detesta? Não sei nem o que responder!)

C. Por que você acha que eu iria ceder?

--

"E? Vocês vão lamentar? A gente lamenta a vaca que a gente acaba de enviar ao matadouro para fazer costeletas?"

A. Você é um doente!

B. (E você, Ethan? Você acha que alguém ia lamentar por você aqui? Você é nojento!)

C. (Ele me dá nojo. E a imagem é horrível. Será que todos eles me veem assim? Um animal de companhia que no final vai ser devorado?)

--

(Como?!)

A. Quem você acha que é? Você acha que o Vladimir não pensa em todos na hora de tomar uma decisão?

B. Não é por que a decisão não convém a você que ela foi tomada por razões ruins! O Aaron e o Rafael compartilham a mesma opinião!

C. (Eu não quero ficar no meio o fogo cruzado, mas eu acho essas acusações lamentáveis!)


Raphael

"Percebi que você estava com ele e preferi não incomodar. Tive razão?"

A. Acho que sim... Eu... me aproximei bastante dele. Obrigado por ter nos deixado a sós.

B. (Não preciso expor a vida do Vladimir, apesar dele gostar do Rafael...)

--

"Vamos nos concentrar na atitude que devemos ter. Nós continuamos sendo um grupo, então somos fortes, tecnicamente. Mas a verdadeira questão é a seguinte: devemos perseguir esse vampiro ou devemos nos contentar em nos proteger?"

A. Mas ele vai matar outras pessoas, se vocês não o deterem! E o que impediriam de vocês serem acusados?

B. E qual é a sua opinião?

--

"[...] O Vladimir levou uma surra, não foi?"

A. Não posso dizer o contrário... Mas ele não está acostumado a lutar, não é? Alguém como o Aaron talvez pudesse bater nele?

B. Será que esse não seria o caso de qualquer um de vocês? O Vladimir lutou com todas as suas forças para me defender. E ele não é um lutador e mesmo assim fez com o que o adversário fugisse!

--

(O quê?)

A. (A chegada do Vladimir coincidiu com a minha partida da mansão? Não sei se devo achar isso estranho... Talvez, ele só tenha aproveitado o fato do lugar estar vazio.)

B. É justamente a minha idade, você sabia? Quer dizer que o Vladimir chegou aqui no ano em que me colocaram no orfanato?


Vladimir

"Não sei, mas você estava gritando e se debatendo. Eu te segurei antes que você caísse no chão e chamei você. Então, pode ter sido isso."

A. Foi horrível. Poucas vezes fiquei tão angustiada em um pesadelo... se você não tivesse me acordado, não sei até onde isso teria ido. Então... Obrigada de verdade.

B. Você não era obrigado, você sabe... Sinto muito, eu devia estar parecendo uma pateta total.

C. Eu preferia que você não tivesse me visto nesse estado...

--

(Esses pesadelos do Vladimir devem ser bem difíceis, se eles o perturbam a esse ponto. Talvez fosse bom eu falar dos meus. Ou então tentar que ele falasse dos dele, só espero que ele não se feche naquele mutismo habitual.)

A. (Não vale a pena deixar ele incomodado com as minhas perguntas, é melhor eu só concordar.)

B. Você tem vontade de falar sobre isso?

C. Ainda... acontece de você ter esse tipo de pesadelo?

--

(Quando eu penso no nosso beijo, eu me sinto tão bem, tão próxima do Vladimir. Tenho que deixar me guiar por isso, me lembrando do que eu sei dele.)

A. Isso não quer dizer que eu não gostei. É... mais o contrário.

B. Vendo a nossa relação e a nossa briga um pouco antes, não era o que eu esperava. Mas... Foi agradável.

C. Mas assim que você pegou o meu rosto com as mãos... não sei dizer... senti que estava no lugar certo.

--

(Mas como é curioso! O que eu vou responder?)

A. Estava pensando que toda vez que você me morde, mesmo que eu sinta dor... isso acaba ficando... agradável.

B. Não é nada de interessante, garanto. Era só uma observação...

C. Por que sou eu que tenho sempre que me abrir? Pelo seu sorriso você já tem alguma ideia.

--

"Não por muito tempo, um ou dois dias, no máximo três, o tempo para cicatrizar. Mas eu concordo que mesmo assim vou achar muito tempo."

A. Eu posso te fazer companhia, se você quiser!

B. Posso te ajudar em alguma coisa? Não sei se posso ser útil, mas se for o caso, é só me pedir.

C. (Só faltava eu começar a incomodar... Talvez, ele não queira que eu o trate como uma criança.)

--

(Ele parou, como se quisesse acrescentar alguma coisa.)

A. (Eu não aguento ficar assim neste suspense.)

B. (Ele parece tão preocupado.)

C. (Esta revelação me deixa boquiaberta.)

--

(Outra vez uma jovem... fico me perguntando se ele não tem uma fixação.)

A. Até agora, ele só atacou mulheres e mulheres jovens, não é? Talvez, tenha alguma coisa aí...

B. (Talvez, o Vladimir ou algum outro toque nesse ponto, senão eu menciono.)

--

"Agasalhada como você está, você ainda consegue estar com frio?"

A. O quê? Você não sabe que as mulheres estão sempre reclamando do frio?

B. É verdade que para você isso não deve mais ser um problema... É de fato prático em qualquer lugar!

C. Mesmo com uma manta e perto da lareira, ainda estou tremendo de frio. Quem sabe eu não estou precisando de um pouco de ajuda para me esquentar...?

--

(Ele está brincando ou o quê?)

A. Mas claro que eu li até o final. Eu não era isolada no meu orfanato, você sabe.

B. Você acha que é o único que leu esse tipo de livro?

C. É, até o final.

--

"Acho que você vai ficar surpresa."

A. Ah, você sabe depois de tudo o que me aconteceu esses últimos meses, tenho a tendência em dizer que nada mais pode me surpreender.

B. Gostaria de sabe até que ponto eu ficaria surpresa...

C. O que você está me dizendo me deixa intrigada, mas acho que há coisas que você não quer falar.

--

"[...] E desde então nada mudou."

A. Suponho que a sua família não pôde te ajudar...

B. Foi por isso que você se estabeleceu aqui? Para ter um lugar "seguro"? Você não encontrou nenhum outro lugar?

C. Mas como é que você conseguiu sobreviver todo esse tempo? Deve ter sido muito difícil e complicado, já que você não pode suportar os raios da lua!

Ilustração

Navegação

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.