Wiki Moonlight Lovers
Advertisement


Capítulo 6 - NeilCapítulo 8 - Neil


Rose.gif


Neil
Capítulo 7
NeilAvatar.jpg


Separateur.png


Lançamento do capítulo: 23/11/2021

Valor de PA gasto (média): 6,640 Neil-PA.png

Personagens que aparecem no capítulo: Beliath, Ethan, Neil, Vladimir.


Separateur.png

Sinopse[]

“Eu não entregaria sua educação de vampira a ninguém. Você é preciosa demais para mim.”

Seu mentor ainda tem muito o que lhe ensinar...

Guia de Respostas[]

Beliath[]

Eloise... Eu a vi sair há algum tempo. Está tudo bem? Espero que o Neil não esteja negligenciado uma bela moça como você.

A. Sim, estou bem, só acabei de me alimentar.

B. Sim. Mas vir para cá com o Neil... Não é fácil.

C. Não. Quer dizer... Às vezes, não sei qual é o jogo dele.

--

O que está acontecendo? Eles estão completamente loucos... Precisamos contê-los antes que a situação piore.

A. (Posso deixar o Beliath cuidar disso. Ele tem mais experiêncial em combate.)

B. (Posso tentar apelar para o bom senso.)

C. (Posso me meter entre os dois.)


Eloise[]

Um silêncio pesado se instalou. O Neil olhava adiante. O Ethan olhava fixamente para seus ´próprios pés. O Beliath suspirava abertamente.

A. Seria uma pena privar-se de conselhos de alguém com tanta experiência, não?

B. Não vamos estragar a noite emburrados, não é?

C. O Neil não quis ofendê-lo, Ethan. Todo mundo é mais novo do que ele.

--

Quando o Neil parou de reclamar, volotou para o bar, tomado por uma ira fria, sem se preocupar com o Ethan, que xingava em uma línqua que eu desconhecia.

A. (É melhor eu ir atrás dele.)

B. (É melhor eu deixá-lo em paz.)

C. (Preciso falar com o Ethan.)


Ethan[]

Posso saber o que vocês estão fazendo?

A. Uma partida de tênis, não dá para ver?

B. O Neil está me ensinando a detectar os diferentes sabores no sangue.

C. Estamos caçando. Que pergunta...

--

Pensar em si mesmo antes de quaquer coisa, isso eu posso entender. Todo mundo age assim, e quem diz o contrário é um mentiroso que se acha.

A. Sei lá... Ser altruísta não é um mito...

B. É engraçado porque esse comportamento é típico dos humanos.

C. Se não formos um pouco egoístas, de qualquer forma, acabamos sendo engolidos.


Neil[]

Boa noite, Eloise. O resto do dia foi calmo... Você conseguiu dormir?

A. Foi difícil, eu estava um pouco preocupada.

B. Passei uma noite excelente.

C. Sim. E pelo visto, você também...

--

Você está super calmo! Você não está com raiva dele?

A. Se fosse eu, estaria furiosa com o Vlad.

B. No seu lugar, acho que me sentiria um pouco culpada.

C. Eu acho que me sentiria triste pelo Vlad.

--

Enquanto eu pensava secretamente no assunto, o Neil aproximou-se da janela. Ele estava olhando para o céu estrelado.

A. Você sabe o que quer fazer hoje?

B. Tem mais alguma coisa que me preocupa... Nosso beijo de ontem...

C. Neil, queria te fazer uma pergunta... Como você me considera?

--

E você espera que eu vire a página assim, em um estalo de dedos?

A. Todos nós cometemos erros.

B. É verdade que isso seria fácil demais, Vladimir.

C. Não adianta focar no passado.

--

Eu não direi nada.

A. Nem eu.

B. Debates que não têm razão de existir.

C. De qualquer forma, não sei com quem eu teria vontade de falar sobre isso...

--

Eu... Não. Vamos. Estou pronto.

A. Eu não tinha previsto fazer isso hoje, mas enfim...

B. Ótimo! Para variar do fato de sempre estarmos trancados aqui!

C. Afinal, por que não...

--

Por um instante, eu vi os dois vampiros como o Neil os via. Eles eram dois seres perdidos e desamparados.

A. Eu não imaginava que um vampiro podia parecer tão frágil.

B. Tenho a impressão de que eles poderiam ser minhas presas.

C. Eles não parecem nem um pouco bom consigo mesmos.

--

Excelente. Como você está te sentindo?

A. Eu queria beber mais... Estou frustrada.

B. Foi o suficiente, estou satisfeita.

C. Eu preferia não ter de fazê-lo...

--

Quando a música desacelerou e um tipo de valsa moderna começou a tocar, eu tomei coragem.

A. Gosto dessa música... Queria dançar.

B. O que você acha de me acompanhar na pista de dança?

C. Uma valsa... É perfeito para você. Vamos?

--

Mas podemosmos proceder de outra maneira, escolher em função dos nossos gostos e das nossas vontades.

A. Eu não sabia que podiamos prever o sabor do sangue de alguém.

B. É como escolher um bom vinho...

C. É realmente considerar os humanos como alimentos...

--

Enfim, hoje, estou buscando um humano cujo sangue não tenha muito sabor metálico e que seja bem neutro, um pouco doce, se possível.

A. Então serve uma pessoa diabética?

B. Então, tem de ser alguém que não bebeu.

C. Alguém com alguns quilos a mais?

--

Estava esperando você. Quer provar primeiro?

A. Claro, obrigada.

B. Não, obrigada. Eu já comi...

C. Não tenho nenhuma vontade...

--

Vou para casa, mas você não precisa vir comigo. Achei que você ainda quisesse aproveitar a pista de dança...

A. Não quero ficar sem você...

B. Você saiu sem dizer nada...

C. Você está bem?

--

Eu acho que já está bom, sabe... Não é tão sério assim, de verdade.

A. Mesmo assim... Como posso cuidar de você?

B. E agora, o que você quer fazer?

C. Eu... Está bem. Posso fazer outra coisa para ajudá-lo?

--

Eu garanto que se eu tivesse recuperado todo meu poder... Se eu tivesse voltado a realmente ser quem eu deveria ser, você não teria sido submetida a este espetáculo vergonhoso.

A. Não há nada desonroso no que eu presenciei.

B. Prometo ajudá-lo a recuperar sua força.

C. Você é perfeito do jeito que é, Neil. Não quero que você mude.

--

Se respondeu: "Não há nada desonroso no que eu presenciei."
Da próxima vez, será melhor. Prometo.
A. Eu prefiriria que você não se colocasse em perigo...
B. Sabe... Você não precisa lutar para que eu goste de você...
C. Tenho certeza disso.

--

(Que pegadinha! O que eu poderia responder?)

A. Quero continuar aprendendo com você. É só isso que importa.

B. Imagino nós dois aqui, com todo mundo, vivendo nossa vida.

C. Acho que devemos dar um passo após o outro.

--

O meu coração disparou, a minha visão ficou embaçada, e o Neil esperava a minha resposta. Eu estava consciente de que este momento era crucial.

A. Se eles continuarem nos ameaçando, eu não serei contra a ideia de enfentá-los.

B. Você está enganado, Neil. Nem todos estão contra nós.

C. Eu jamais farei mal aos que se tornaram meus amigos!

--

Enquanto a voz do Neil se tornava um sussurro, os primeiros raios de sol começaram a aparecer no horizonte.

A. Eu gostaria muito desse futuro que você está descrevendo.

B. É exatamente assim que eu imagino a nossa vida.

C. Seria um belo objetivo!

--

Hmm... Eu... Entendi. Ouça, mais uma vez, peço que perdoe o meu intante de fraqueza que parece dar vazão a boatos estranhos.

A. Não que isso me incomodasse...

B. De qualquer forma, eles são uns idiotas...

C. É verdade que foi meio constrangedor...

Ilustração[]

Navegação[]

Advertisement