Capítulo 6 - Vladimir Capítulo 8 - Vladimir

Rose.gif


Vladimir
Capítulo 7





Avatar-vladimir-profil.jpg


Separateur.png

Lançamento do capítulo: 27/02/2020

Valor de PA gasto (média): 12.300  Coin Vladimir.png

Personagens que aparecem no capítulo: Aaron, Beliath, Ethan, Ivan, Raphael, Vladimir.


Separateur.png

Sinopse

“A resposta à sua pergunta era simples: para mim, o assassino voltou para terminar o que ele não conseguiu acabar na floresta. E nada poderá detê-lo.”

OBSERVAÇÃO: Por favor, pedimos que não marquem uma opção como correta sem que ela seja confirmada. Obrigado!

Guia de respostas

Aaron

"Não muito. Estava procurando o Vladimir. Tenho notícias terríveis."

A. Será que eu devo te perguntar qual o tipo de notícia?

B. Aaron, eu amaria pensar em outra coisa... Mas são novos ataques?

--

"É isso. E isso não podia se tornar tão banal. Você sabe o pior? É que quando essa infeliz foi atacada, certamente o Ethan e eu estávamos na cidade."

A. E vocês viram ou sentiram alguma coisa?

B. Você acha que o assassino atacou por que vocês estavam lá? Para provocar vocês?


Beliath

"Minha linda, eu desconfio de que seja uma pergunta estúpida depois do que acabou de acontecer... Mas está tudo bem?"

A. Na opinião de vocês? Na opinião de todos vocês? É óbvio que as coisas não estão bem!

B. (Será que a gente vai ter que ficar mesmo remoendo esse ataque a noite inteira?)

C. De fato, eu não sei de nada. É evidente que as coisas não estão bem. Não depois do que aconteceu...


Eloise

"Eu tinha que dizer alguma coisa... Mas dizer o quê quando nós somos atacados na nossa própria casa, na nossa própria cama?"

A. (Eu estou cheia de ficar no meio do fogo cruzado.)

B. Hum... Considerando que fui eu que fui atacada, eu não vou contradizer vocês...

C. Gostaria de ser tão segura quanto você... mas quando ele estava lá no meu quarto...

--

(Ele falou da mãe, mas ainda não falou do pai! Deve ser importante também! Como posso fazer para que ele conte mais coisas para mim?)

A. (Se for um assunto tão delicado como foi quando ele falou da mãe, talvez eu tenha que incentivá-lo a falar de um jeito mais sutil.)

B. (Será que a gente já não passou da fase em que eu tinha de ficar pisando em ovos, com medo da reação que ele poderia ter?)

--

A. (Pelo menos, estou quase certa de que o Rafael deve estar na biblioteca. Espero que ele queira ir um pouco comigo lá fora.)

B. (Acho que o Aaron deve ter ido caçar, mas não custa nada procurá-lo. Ele costuma ficar lá pelos lados do Grande Salão, tenho que ir lá ver.)

C. (O Beliath tinha que ir ao centro da cidade com o Ethan, eu acho, mas eu posso tentar encontrá-lo mesmo assim. Ele costuma estar no hall ou no grande salão.)

--

"(...)"

A. (Estendi o braço para tocar com os dedos as costas de Vladimir, estava sensibilizada com seus ombros curvados e seu aspecto contraído.)

B. (Não sabia como deveria me comportar.)

C. (Minha mão se moveu antes que o meu pensamento formulasse o que deveria fazer.)


Ethan

"Eu só fiz uma observação."

A. Meu Deus! Mas você tem algum problema com o Vladimir para acusá-lo desta forma?!

B. Como é que poderia ser o Vladimir?

C. Você pode me dizer quando é que você achou que essa sua observação iria interessar alguém, Ethan?)


Ivan

(É estranho... Já cruzei com ele várias vezes durante o dia.)

A. Você não tinha saído com o Aaron?

B. Espera, eu pensei que o Vladimir tinha pedido para não ficarmos sozinhos.

--

"Pois bem..."

A. É, eu vou sair mesmo, mas talvez mais tarde. Eu... tenho outra coisa pra fazer.

B. Ivan... Se você pudesse, você sairia mais frequentemente?


Raphael

(Eu queria perguntar sobre os olhos dele... Mas será que não é mal educado?)

A. Raphael... Eu estava pensando... Não se sinta obrigado a responder, mas você sempre foi... Cego?

B. (Talvez, um dia ele me falará sobre isso, mas enquanto isso não acontecer é melhor ser discreta.)


Vladimir

"Por favor, me diga... como você está se sentindo."

A. Oh, Vladimir... Eu sei que eu não devia chorar na frente dos outros, mas estava com vontade. Foi horrível. Não posso esquecer.

B. Agora que você está aqui... Eu me sinto melhor. De Verdade. Você me salvou e me defendeu.

C. Sinceramente, eu teria dispensado os comentários do Ethan...

--

"São as origens do meu pai, principalmente. Não vejo como isso poderia te interessar tanto."

A. Você falou para mim da sua mãe, mas não me lembro de você ter mencionado o seu pai.

B. Vladimir, considerando a sua condição, viajar para o exterior deve ter sido algo muito difícil. Isso devia ser mesmo muito importante para você, não é?

C. Vendo o que você me disse, imagino que compreender as suas origens tem realmente uma importância para você.

--

"São, sim. Eu viajei muito depois de ter deixado a minha casa... Eu posso ler essas línguas, porque meu pai me ensinou. Aproveitei o meu exílio para descobrir as minhas origens."

A. (Se for um assunto tão delicado como foi quando ele falou da mãe, talvez eu tenha que incentivá-lo a falar de um jeito sutil.)

B. (Será que a gente já não passou da fase em que eu tinha que ficar pisando em ovos, com medo da reação que ele poderia ter?)

--

"O quê? Verdade? Mas... Você..."

A. É o seu pai. É o homem que transmitiu a metade do que você é.

B. Você fala do seu pai, como você falou da sua mãe... 

C. Vladimir, tudo o que diz respeito a você e se refere a você, me interessa. 

--

"... Aceitou deixar o seu meio e o seu país para achar uma herdeira rica."

A. Mas... ele escolheu a sua mãe exclusivamente por causa do dinheiro, ou tinha...

B. E a família dele? Isso não os deixou incomodados?

C. Eu imagino que não foi uma decisão fácil de ser tomada...

--

"Algum problema? Isso te incomoda?"

A. Dez de vocês poderiam estar no meu quarto, isso não ia me ajudar muito... Eu não estou me sentindo segura. Não estou me sentindo bem.

B. Não, claro que você não é o problema. É que... depois do que aconteceu, não sei se vou conseguir voltar a dormir na minha cama...

C. Não é você que está me incomodando... É que eu não consigo esquecer... o que aconteceu.

--

"...Para dizer a verdade, se eu tivesse escolha, não deixaria você a par de tudo. Acho que, por ora, você já enfrentou dificuldades o bastante. Se possível, eu preferia... Que você me deixasse comandar as coisas."

A. (Não, eu realmente não posso deixar o Vladimir cuidar disso sozinho. Agora, não mais. Estou muito envolvida nessa situação toda.)

B. Vladimir, você realmente está falando sério ao me pedir isso?

--

"Vladimir, por favor! Aparentemente, ele está mais interessado na ideia de beber meu sangue do que lutar com você."

A. Não posso esquecer esse medo desgraçado e de como ele me deixou paralisada!

B. Será que você imagina como eu me senti vulnerável e impotente? A que ponto aquilo foi atroz?

C. E isso me deixa louca! Eu não suporto quando o Ethan diz que eu sou uma "despensa de comida". A ideia de ser realmente isso para alguém me corrói.

--

A. Apesar de toda a sua vontade, você não poderá mudar o que aconteceu, Vladimir.

B. E você não acha que ficar imaginando as piores coisas não vai provocar ainda mais pesadelos?

C. Como é que você pode falar dos meus sonhos, quando você acabou de dizer, um pouco antes, que "precisa se concentrar"? Você está fazendo isso tanto por mim como por você.

--

"Ah, sim? e você fez alguma coisa? Me diz! Você tem alguma pista concreta? estou te escutando!"

A. E vocês pretendem ficar ainda por quanto tempo assim, sofrendo inutilmente? O que vai acontecer depende de vocês! Mexam-se!

B. (Se eles continuarem assim, vai acabar em briga!)

--

"Digamos que eu vou tentar fazer o melhor possível. E não vou demorar. Só quero te dizer que eu pretendo ficar vigiando a porta do seu quarto."

A. Vladimir, fico feliz em saber que você quer me proteger, mas acho que não precisa se concentrar em mim...

B. Vladimir, eu tenho quase o mesmo ritmo que você, você acha realmente necessário? Será que você não está tomando cuidado demais?

C. Escuta... Se isso pode te deixar mais tranquilo, a gente faz desse jeito. Mas eu quase sempre acordo na mesma hora que você, e...

--

"E ao mesmo tempo..."

A. Eu não quero que isso te ofenda, mas...

B. Eu sei que você certamente vai matizar o que eu vou te dizer, talvez vai dizer para eu tomar cuidado. Mas...

C. Eu não sei, de verdade. Tem tantas coisas que se misturam.

--

"Mas um filho inútil se eu, um dia, não fosse capaz de comandar toda essa herança."

A. O que? Mas é totalmente irracional! E injusto!

B. Vladimir... Eu sei que não conheci a mesma situação. Mas mesmo assim...

C. Tenho dificuldade em entender por que isso gerava um problema tão grande...



Ilustração

Navegação

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.