Capítulo 8 - Vladimir Capítulo 10 - Vladimir

Rose.gif


Vladimir
Capítulo 9





Avatar-vladimir-profil.jpg


Separateur.png

Lançamento do capítulo: 22/04/2020

Valor de PA gasto (média): 11500  Coin Vladimir.png

Personagens que aparecem no capítulo:  Aaron, Beliath, Ethan, Raphael, Vladimir.


Separateur.png

Sinopse[editar | editar código-fonte]

Depois de um momento maravilhoso, voltei à realidade. Será que você conseguirá trazer o Vladimir de volta à razão no capítulo 9?

OBSERVAÇÃO: Por favor, pedimos que não marquem uma opção como correta sem que ela seja confirmada. Obrigado![editar | editar código-fonte]

Guia de respostas[editar | editar código-fonte]

Aaron[editar | editar código-fonte]

A. O que você quer dizer com isso, Aaron? Você está falando sério? Não é o que a gente tinha...

B. (Eu não tenho um lugar tão importante como os outros aqui, é um assunto muito delicado. Vamos deixar o Vladimir cuidar disso.)

--

"(Mas... Será que o Aaron já...)"

A. Aaron... Se você fala tudo isso... é por que você já matou um outro vampiro?

B. Mas espera. Alguém aqui já... matou um vampiro?

--

"(...)para pegar um assassino. E eu só vou levar pessoas capazes."

A. No entanto vocês ficaram bem contente quando eu dei as pistas para achar o vampiro! E agora vocês me descartam?!

B. E por que a gente não seria? Na pior das hipóteses, escolham nós dois e um toma conta do outro!


Eloise[editar | editar código-fonte]

"(Mas e se eles descobrirem e isso desestabilizar todo mundo?)"

A. (Quem é que eu estou tentando convencer? O Vladimir tem razão, apesar da mansão ser grande, todos os sete moram juntos. Não vamos conseguir manter um segredo assim aqui dentro, só se ficarmos evitando.)

B. (Vladimir tem razão, vai ser delicado manter isso só entre a gente, mas eu não tenho realmente vontade de me expor diante dos outros.)

C. (Tive a impressão de que a situação é insolúvel. A gente não vai conseguir manter o segredo, eles vão adivinhar. E sinceramente, eu não tenho vontade de ser observada e julgada por isso.)

--

"(Será que eu tento?)"

A. (Não é o Vladimir que vai fazer isso por mim, ele foi muito claro sobre o assunto.)

B. (E se eles chegarem aqui e eu não estiver?)

--

"(Será que eu devo perguntar isso ao Raphael? Se ele não souber de nada, a minha pergunta pode chamar a atenção dele. Corro o risco de jogar mais lenha na fogueira.)"

A. (De qualquer maneira, eu não tenho mais tanto tempo assim e, se for algo delicado, o Raphael vai me dizer. É melhor arriscar, não tenho grande coisa a perder. Pelo menos é o que eu acho.)

B. (Não, ele não deve saber de nada. Eu nunca o vi aqui na cozinha, já vim aqui várias vezes para constatar que geralmente só eu que venho aqui.)

--

"E enquanto os três vampiros afivelavam armas e capas, eu remoía uma pergunta. Eles partiam para talvez nunca mais voltar. Apesar da raiva deles e da minha, será que eu deveria dizer alguma coisa?"

A. (Engula o seu orgulho estúpido, talvez eles morram! Para defender você, para defender a sua casa e para defender todos nós.)

B. (Eu posso pelo menos fazer um sinal... vou me sentir melhor. E eles também, assim eu espero.)

C. (Tenho medo que eles me achem uma hipócrita...E, de alguma forma, ao me despedir tenho medo de dar azar.)


Ethan[editar | editar código-fonte]

"Ele poderia renovar o repertório."

A. E você estava impaciente para saber quais foram as nossas conclusões, eu imagino?

B. Não vale a pena perder o meu tempo e a minha saliva respondendo.


Raphael[editar | editar código-fonte]

"(Perfeito, vamos distraí-lo com isso... Tudo, exceto essa porta por enquanto, até eu me acalmar.)"

A. Isso está me deixando desesperada. Tenho a impressão de que eles continuam me vendo como fraca e bitolada. No entanto, é graças a mim que eles conseguem avançar tão rápido com a perseguição! É por que eu sou uma menina?!

B. Estou irritada de ter sido mandada para a cozinha, mas eu prefiro aceitar. Já fiquei muito nervosa com isso, não é continuando assim que eu vou influenciá-los.

--

"Você saberia usá-la?"

A. ... Eu nunca tive que lutar, a não ser com os meus punhos. Então, suponho que não.

B. Bem menos do que vocês, isso é certo, mas bem utilizada ou não, uma faca é uma faca.

--

"... E assustadora."

A. De qualquer maneira, vai ser preciso chegar a esse ponto. Não há tantas soluções para impor a esse vampiro o que ele merece.

B. Eu só espero que ninguém saia prejudicado. De preferência, que não haja mortes. Ainda que eu tenha poucas esperanças disso.

--

"Talvez, vocês dois precisem... conversar."

A. Agradeço a sua disponibilidade, mas por enquanto, sinceramente, não é o momento, estou sobretudo com vontade de ficar sozinha. E o Vladimir deve desconfiar disso.

B. (E para quê? O Vladimir não escuta nada, ele está pouco ligando para a minha opinião. Eu estou cheia de segui-lo. A gente vai conversar quando eu achar que é a hora certa.)

C. "Conversar"? Como algumas pessoas não vêm necessidade nisso, então eu vou dispensar. Isso não serve mais para nada.

--

"(...) neste oceano de angústia."

A. Eu...Não esperava por isso. Mas... obrigada, Raphael. Um pouco de compreensão vai fazer bem a nós dois.

B. Você acha que devo dizer aos outros antes que eles descubram como você?

--

A. Eu ainda devo estar meio que dormindo... Eu disse "alguma coisa se aproxima", mas não sei o que...

B. Nada... Eu devo estar muito cansada, eu acho que disse alguma coisa, mas...


Vladimir[editar | editar código-fonte]

"(Eu tenho tantos comentários para fazer sobre tudo isso, mas não sei por onde começar.)"

A. Você não acha que isso vai distraí-los e fazer com que eles questionassem as suas decisões?

B. O Ethan já reclama que você é parcial em relação a mim. Você não tem medo que eles não queiram mais te consultar se eu estiver envolvida?

C. Eu não sei... se eu tenho vontade de expor isso para todo mundo. Já é bem complicado assim, sem que eles saibam o que está acontecendo entre a gente. E, além do mais, isso só tem a ver com a gente.

--

A. Nós dois sabemos que eu tenho os meus motivos para achar que você não está sendo... você por inteiro.

B. Você não vai ficar aborrecido comigo se eu...?

C. E se, como você me disse, é porque você quer me proteger, então não faça isso, por favor.

--

"Aonde você está indo?"

A. Eu acho que isso não é da sua conta e eu não sou obrigada a te avisar a cada passo que eu dou.

B. Aonde me der vontade. Eu não tenho que te avisar toda a vez que eu vou a algum lugar.

C. Em princípio, longe de você. Assim tento me lembrar por que eu gosto de você, apesar das suas decisões totalmente estúpidas.

--

"Vamos conversar em outro lugar."

A. Vladimir, eu não vou a lugar nenhum com você até eu saber o porquê.

B. Eu não sei se é um pretexto para conversar comigo...

C. Se for a sua maneira de me levar para algum lugar para que a gente possa conversar, esquece.

--

"Será que isso tem a ver com..."

A. Isso tem a ver com a porta que ninguém pode se aproximar?

B. (Meu Deus! Eu estou com tanta vontade de falar sobre isso... É óbvio que isso tem a ver com o que tem atrás dessa porta. Não tem mais nada nesta cozinha.)

--

"Você não é idiota. Você, assim como eu, sabe que há outra coisa por trás."

A. Então finalmente nós vamos falar sobre isso? Da única porta proibida de toda essa mansão?

B. O que é então? Na verdade, eu bem que me pergunto o que pode ser.

C. E eu já estou farta dos mistérios.

--

"Eu gostaria muito. Mas é mais complicado do que isso."

A. Se você não quer me dizer nada sobre o que há de tão terrível para ser descoberto lá, eu acho que não tenho mais nada a fazer aqui.

B. Você me cansa com esse seu show de diva, Vladimir.

C. Eu não tenho vontade nem tempo para isso, sinto muito.

--

"(É sério isso?!)"

A. Talvez você poderia começar me dizendo como é que você conheceu os meus pais.

B. Eu realmente gostaria de saber como você sabe algo sobre esse assunto.

C. Quando eu cheguei aqui você já sabia? Como você descobriu o que tinha acontecido? Foi há muito tempo?

--

"(...)e que eu poderia tentar a sorte aqui."

A. Então, quando você se deu conta que não era o caso, você quis expulsá-los?

B. E você chegou à mansão desse jeito?

C. Então, você... conheceu os meus pais?

--

"Um vampiro... os matou..."

A. Foi um de vocês? Nem considere a possibilidade de dizer uma mentira! Não sobre isso, não agora que eu sei...

B. "Um vampiro?" Alguém que você não conhecia? Era um desses vampiros "selvagens" e solitários?

C. E você encontrou alguma pista? Você não tem ideia de quem fez isso?!

Ilustração[editar | editar código-fonte]

Navegação[editar | editar código-fonte]

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.